Porque é que a Desintoxicação Natural não funciona?

Quando o sistema de eliminação natural do corpo trabalha bem, poderá funcionar a cem por cento. Porém, se qualquer parte do sistema não funcionar, as toxinas não serão expelidas e começarão a acumular-se no organismo. Por exemplo, o sinal mais simples disto (e provavelmente o que é mais comum) é a ressaca. Se se exceder na quantidade de álcool que ingere, o organismo não poderá processá-lo de uma vez só e este começará a acumular-se e a envenenar o organismo, provocando sintomas como náuseas, dores de cabeça e indisposições no estômago. Todavia, assim que o organismo tiver capacidade de o eiiminar, os sintomas começarão a desaparecer.

Imagine agora este acontecimento numa escala maior. Se não forem removidas do organismo, as toxinas poderão acumular-se, prejudicando o funcionamento de todos os sistemas do organismo e conduzindo ao aparecimento de problemas como falta de energia, fraca Imunidade, problemas de pele, celulite, aumento de peso e artrites.

São estes problemas que a desintoxicação tenta combater. Em teoria, se não se verificar a sobrecarga tóxica, o envenenamento acabará igualmente por não se verificar. Reduzir a exposição às toxinas, ajuda a diminuir a pressão sobre o sistema natural de desintoxicação do organismo e a processar as toxinas

PORQUE A DESINTOXICAÇÃO NATURAL NÃO FUNCIONA?

Que fez quando se desintoxicou pela última vez? Certamente terá evitado todos os alimentos que proporcionam o aparecimento de toxinas, terá comido apenas fruta e vegetais durante alguns dias ou talvez tenha seguido uma dieta de sumos. Na realidade, isso contraria a forma como o organismo se desintoxica naturalmente. As formas normais de desintoxicação podem reduzir as toxinas que ingerimos, mas, por outro lado, são bastante pobres em calorias. Além disso, ao fazermos tais dietas, o ritmo metabólico (a velocidade à qual o organismo funciona) abranda pelo menos 10% e mais ainda se continuarmos a dieta. Apenas são precisos dois dias para que isso aconteça e afecta todos os processos do organismo, incluindo a remoção de substâncias não assimiláveis, que é um dos processos que queremos que funcione perfeita e eficazmente para que nos vejamos livres das toxinas existentes no organismo.

Consequentemente, com os programas tradicionais de desintoxicação poderemos eliminar toxinas a um ritmo mais lento do que o normal. Este abrandamento do metabolismo em virtude dessa desintoxicação fará descer igualmente a temperatura do corpo e, quando tal acontece, faz reduzir ainda a transpiração – eliminando assim outra das mais importantes formas de desintoxicação. Para piorar ainda mais as coisas, se seguirmos uma dieta de sumos, provavelmente retiraremos todas as fibras dos saudáveis frutos e vegetais que reduziremos a sumo (excepto se usarmos uma centrifugadora). Isto é um problema importante, dado que a presença de fibras nos intestinos estimula a acção deste; se não houver fibras, haverá sempre a possibilidade de obstipação.

Durante uma dieta destas, a verdade é que estará a eliminar outra importante forma de desintoxicação.

PODEREMOS SER PREJUDICADOS PELA DESINTOXICAÇÃO NATURAL?

O factor mais assustador acerca de uma desintoxicação rigorosa provém de investigações canadianas. Muitas pessoas dão início a um processo de desintoxicação no intuito de combater as mini-toxinas que entram quotidianamente no corpo – como o álcool, a carne vermelha e a cafeína – mas, ao privarem o corpo de comida, na realidade poderão estar a introduzir no organismo verdadeiras toxinas. A razão é que este tipo de privação altera a maneira de o organismo produzir energia.

Normalmente, o organismo serve-se dos hidratos de carbono armazenados no sangue ou nos músculos para produzir energia. Todavia, o facto de nos privarmos de alimentos durante um dia deixa esses armazenamentos exaustos, pelo que o organismo se vê forçado a ir buscar energia aos depósitos de gordura. Então, como já referimos, se o organismo não conseguir lidar com uma toxina, Irá empurrá-la para os depósitos de gordura, onde não lhe será tão nociva -isto até que tais depósitos se desfaçam e as toxinas sejam introduzidas na corrente sanguínea. Embora isto pareça explicar toda a teoria da desintoxicação, os investigadores canadianos (da Quebec’s Lavai University) descobriram que quando os químicos que estudavam são libertados, não desaparecem. Na realidade, os níveis destes sobem à medida que as dietas prosseguem – é como se o organismo simplesmente não soubesse o que fazer com tais químicos.

«Segundo um plano de desintoxicação tradicional, poderá eliminar toxinas a um ritmo mais lento do que o normal.»



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :