O surgimento da osteoporose

Como surge?

Com a idade a estrutura óssea do ser humano tende a perder a sua força e robustez. Desta forma os idosos correm um risco maior de sofrer fracturas. O surgimento da osteoporose é motivado por muito factores. Desde que nascemos a nossa esqueleto está em constante evolução. Nos bebés, os ossos são principalmente feitos de cartilagem e pouco mineralizados. Com o crescimento os ossos adquirem mais minerais e desenvolvem-se até estarem completos. Este desenvolvimento ocorre até aos 25 – 30 anos. Nesta idade atinge-se o maior pico de robustez do esqueleto humano. Depois desta idade o cálcio vai se perdendo na estrutura óssea. A capacidade de formação de ossos novos passa a ser menos e assiste-se de uma forma lenta à perda de massa óssea e a robustez do esqueleto diminui.

Com esta diminuição da massa óssea, o osso torna-se mais frágil e o risco de fractura é maior. É este o mecanismo que está subjacente à osteoporose. Esta perda  de massa óssea está presente  tanto nos homens como nas mulheres, contudo  nas mulheres esta perda é mais acentuada, devido à menopausa e à diminuição de estrogénio.

Factores que podem prejudicar a massa óssea

Existem porém outros factores que podem comprometer o alcance do pico de massa óssea, influenciando a taxa de perda após esse momento. Estes factores estão relacionados com os hábitos e estilo de vida e com o surgimentos doenças. Existem também certos medicamentos que podem causar o desenvolvimento da osteoporose. Por exemplo a falta de exercício físico, uma alimentação pobre em lacticínios, o tabaco, o álcool e o café em excesso podem prejudicar a estrutura do esqueleto e a sua robustez. O facto de um indivíduo ter baixo peso funciona, também, como factor de risco importante.

Doenças que podem provocar a osteoporose

No que toca às doenças existem algumas que podem provocar osteoporose como o hipertiroidismo, anorexia nervosa, diabetes mellitus e doenças inflamatórias crónicas (de que são exemplos a artrite reumatóide e a doença inflamatória do intestino).



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :