O que é o Complantix

Com o nome de complantix designa-se modernamente o conjunto de nutrientes de origem vegetal indigeríveis pelas enzimas digestivas. Por não serem digeridos não são absorvidos para o meio interno, mas como actuam favoravelmente no processo digestivo, interferem manifestamente, e em bom sentido, no balanço metabólico.
A maior parte do complantix provém das paredes celulares constituídas por microfibrilhas celulósicas incluídas numa matriz de hemi-celuloses e lenhinas, e de cimentos intercelulares constituídos por compostos gelificáveis. Chegam ao cólon sem modificações e aí servem de alimento à ñora microbiana.

O conhecimento moderno do complantix torna obsoletas as designações por que foi conhecido: primeiro, por celulose; depois, por indigerível glicídico; mais recentemente (e ainda) por fibras, sobretudo pela força da literatura anglo-saxónica que utiliza a designação de dietary fiber.

O complantix integra três grupos de substâncias:

  1. fibras propriamente ditas — celuloses, hemiceluloses e lenhinas;
  2. substâncias gelificáveis — pectinas, gomas e mucilagens;
  3. outras substâncias indigeríveis — ácido fítico, sílica, ceras, tanino, etc.

O que as tabelas de composição de alimentos designam por «celulose» corresponde à parte das celuloses, hemiceluloses e lenhinas detectável por métodos clássicos de análise.
Há grande confusão relativamente à dose recomendada de complantix na ração alimentar diária porque ainda não estão esclarecidas as quantidades mais propícias para a saúde, porque essas quantidades se correlacionam com a alimentação adoptada, e porque os números se referem a resultados de determinações por diferentes métodos que não avaliam por igual todos os componentes.
Referido como «celulose», preconizamos um aprovisionamento diário de cerca de 16 g, na mulher, e de cerca de 21 g, no homem. Corresponde ao que é automaticamente fornecido pela alimentação conforme as regras do padrão alimentar saudável, ou seja, de acordo com a distribuição sugerida por A Roda dos Alimentos portuguesa. Aqueles números multiplicados por 1,5 a 2 correspondem grosseiramente aos valores que modernamente são referidos na literatura anglo-saxónica como ração recomendada de dietary fiber.

A investigação sobre o complantix configura uma das áreas actualmente mais quentes das ciências de nutrição porque as implicações destes nutrientes e do tipo de alimentação que os fornece são muito complexas e porque as repercussões na saúde são importantíssimas. Em consequência, já começou a invasão dos mercados farmacêutico e «dietético» com formulações para emagrecer, para baixar colesterol, para evacuar, para equilibrar a glicemia, etc., e já começou a invasão do mercado alimentar com produtos «integrais», «completos», «naturais», «enriquecidos de fibras», etc.
No entanto, os conhecimentos sobre os efeitos de componentes isolados ou de pequenos agrupamentos são pouco seguros e resultam de experiências de curta duração. Pelo contrário, já são razoavelmente conhecidos os efeitos globais do complantix em ocorrência natural na alimentação.

Os efeitos bem documentados de uma alimentação natural rica de complantix, como hoje se preconiza, são os seguintes: alongamento do tempo de mastigação e melhor ensalivação; alongamento do tempo de digestão no estômago e no intestino delgado; aceleração do esvaziamento biliar e englobamento de sais biliares; atraso da absorção de glicose, ácidos gordos e ácidos aminados; sequestro de minerais; aumento do volume e fluidez das fezes; aceleração do trânsito eólico, redução da pressão intracólica e facilitação da defecação; modelação da flora intestinal com predomínio de bactérias não agressivas.

Aos indigeríveis não solúveis — celuloses, lenhinas e parte das hemiceluloses — atribui-se em especial efeito sobre o cólon: aumento de volume e fluidez de fezes, estímulo de motricidade, ordenação das populações bacterianas, etc. Aos indigeríveis solúveis — pectinas, gomas, mucilagens e parte solúvel das hemiceluloses — atribui-se sobretudo efeitos sobre o tempo de digestão no estômago e no intestino delgado, sobre a regulação de hormonas produzidas nas paredes digestivas e no pâncreas, sobre o sequestro de esteróides (de que resulta menor agressão para a parede intestinal e baixa dos níveis de colesterol sanguíneo) e sobre o tempo de absorção de nutrientes, que se torna mais longo.

Dos efeitos globais do complantix em doses adequadas e da alimentação saudável que o fornece resulta serem infrequentes as patologias típicas do padrão alimentar ocidental, o que assume grande importância para a saúde individual e colectiva.
Obstipação, hérnia do hiato esofágico, diverticulose cólica adquirida, hemorróidas, carcinomas de cólon, sigmóide e recto, implantação deficiente de dentes, cárie dentária, hipercolesterolemia, doença degenerativa cardiovascular, hiperglicemia, diabetes da maturidade, obesidade, e calculóse da vesícula biliar são raridades entre grupos humanos que se alimentam saudavelmente consumindo quantidades adequadas de complantix, amido e oligossacáridos, ou seja, alimentos naturais de proveniência vegetal.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :