A alimentação da criança e o rendimento escolar

Regularidade e simplicidade são as melhores medidas para uma boa nutrição e alimentação da criança que estuda. Não comer nada entre as refeições deve ser uma regra absoluta. Nada é mais prejudicial ao apetite, à boa digestão e à boa disciplina do que o alimento a horas impróprias. Isto quer dizer que o rendimento escolar da criança depende do que ela faz com o seu corpo. É uma verdade, especialmente em relação aos hábitos alimentares.

Saiba se o seu filho está bem alimentado

O desenvolvimento normal no peso e na estatura, juntamente com sinais de boa nutrição nas crianças, são os melhores indicadores de que estão a receber o alimento necessário e na quantidade ideal.

Sinais de boa nutrição

Os sinais de boa nutrição são: corpo bem formado, músculos firmes, gordura envolvendo os músculos e ossos, coloração de pele corada, pálpebras e lábios cor de rosa forte, olhos claros e brilhantes, cabelo macio e lustroso, expressão de alerta no rosto, postura erecta, peito para a frente, abdómen não mais saliente do que o peito, disposição feliz e cheia de vida, boa digestão e regular evacuação.

Causas de má nutrição

As causas principais da má nutrição são: pobreza, ignorância ou falta de orientação na família. Dá-se a seguir um número de causas directas de má nutrição. A dieta da família pode ser deficiente. Pode ser insuficiente em quantidades por causa das refeições inadequadas, ou se, por alguma razão, a criança não come o suficiente. O alimento pode ser inadequado em qualidade: muito pouco leite, poucas frutas e vegetais. Noutros casos, há muitos rebuçados ou doces, café ou chá. A criança pode ter maus hábitos alimentares: refeições irregulares, comer entre as refeições, comer demasiado depressa ou mastigação incompleta. A falta de higiene pode ser a causa de má nutrição. Dormir pouco, demasiado exercício e fadiga crónica, com falta de recreio ao ar livre, fora de casa, tem um efeito nocivo sobre o bem estar físico. Defeitos físicos também têm parte na má nutrição. Amígdalas e adenóides, dentes estragados, endocardite ou tuberculose podem ser factores contribuintes.  Os pais devem saber quais os alimentos necessários para os filhos, não somente quando são crianças, mas também quando estiverem a chegar ao período de maturidade. A alimentação adequada não se consegue ao acaso.



1 Comentário to “A alimentação da criança e o rendimento escolar”
  1. Mª da Penha Muzzi Lage Magalhães

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :