Sintomas e Tratamentos para a Anemia

Está pálido? Sente-se fraco e cansado? O médico pode pedir uma análise de sangue para verificar se a causa é anemia e, se for esse o caso, se ela se deve a falta de ferro no sangue ou a outra causa. Pergunte ao médico se determinado suplemento é adequado ao seu caso.

A anemia é uma situação caracterizada por um número de glóbulos vermelhos inferior ao normal ou pela falta de hemoglobina (pigmento que transporta o oxigénio) nestes glóbulos. Em caso de anemia, o organismo não recebe oxigênio suficiente, surgindo cansaço. Embora os sintomas possam não se manifestar — ou ser muito ligeiros —, uma anemia prolongada pode levar à morte se não for diagnosticada e tratada. Se suspeitar de que está anêmico, é essencial consultar rapidamente o seu médico a fim de determinar qual a causa subjacente. O tratamento depende do diagnóstico.

Causas da Anemia

Uma deficiência de ferro, a mais vulgar causa de anemia, resulta muitas vezes de uma perda de sangue gradual e prolongada que esgota as reservas deste mineral no organismo. Sem ferro suficiente, os níveis de hemoglobina descem. As mulheres em idade fértil, em especial as que têm menstruações muito abundantes, têm tendência a desenvolver anemia ferripriva. Contudo, tanto homens como mulheres podem vir a ter deficiência de ferro como resultado de qualquer situação que provoque hemorragias lentas — como hemorroidas crônicas, pólipos ou úlceras rectais, cancro do estômago ou do cólon ou uso prolongado de aspirina ou outros fármacos anti–inflamatórios não-esteróides (AINEs), como o ibuprofeno. Como muitos alimentos são enriquecidos com ferro, a anemia ferripriva raramente pode ser atribuída à falta deste mineral na alimentação.

Menos comum é a anemia resultante de deficiência de vitamina B12 (anemia perniciosa) ou de ácido fólico. Estes dois nutrientes são indispensáveis à produção dos glóbulos vermelhos. Os alcoólicos, os fumadores, as pessoas com determinadas perturbações digestivas, os vegetarianos, as pessoas com mais de 50 anos e as mulheres grávidas ou que amamentam são as que estão em situação de maior risco, seja devido a uma dieta pobre ou inadequada, seja devido a incapacidade de absorver bem aqueles nutrientes. Outras formas de anemia podem ser resultado de doenças crônicas (cancro, lúpus, artrite reumatóide, por exemplo); doenças hereditárias como a anemia de células falciformes ou exposição a fármacos ou compostos químicos tóxicos, ou a radiações.


anemia

Sintomas de Anemia

  • Fraqueza, fadiga, tonturas, irritabilidade, confusão mental Palidez, especialmente nas gengivas e pálpebras ou debaixo das unhas
  • Palpitações, respiração ofegante
  • Feridas na boca ou língua, equimoses ou hemorragias frequentes
  • Dormência e formigueiro nos pés ou nas pernas
  • Náuseas e diarreia
  • Se notar quaisquer sintomas de anemia — o seu médico tem de descobrir qual a causa subjacente.
  • Se está grávida (ou planeia engravidar) ou tem menstruações muito abundantes.
  • Se estiver a fazer tratamento contra a anemia — controles periódicos dir-lhe-ão se os suplementos estão a resultar.
  • Os suplementos de ferro podem ser perigosos quando tomados por quem não tem deficiência deste mineral.

Suplementação para ajuda no tratamento da Anemia

Antes de tomar suplementos, o médico.deve determinaras causas da anemia (isto é essencial no caso da anemia ferripriva, que pode dever–se a hemorragias internas). Depois, serão pedidas análises de sangue regulares para ver se os suplementos estão a resultar como esperado. Sendo diagnosticada uma anemia ferripriva, pode ser útil combinar ferro com vitamina C. O ferro é componente essencial da hemoglobina, e a vitamina C ajuda à absorção deste mineral. Tome ferro apenas sob orientação médica, pois este em excesso é perigoso.

Várias plantas medicinais podem ser úteis. A equinácea parece regenerar os glóbulos vermelhos, e a urtiga, ajudar no tratamento da anemia. Outras plantas medicinais têm fitonutrientes que ajudam o organismo a utilizar vitaminas e minerais. Por exemplo, o dente-de-leão, a bardana, a labaça-crespa, a genciana e o trevo-violeta podem ajudar o organismo a usar o ferro dos alimentos e dos suplementos.

A vitamina C pode ser útil se a anemia se dever a deficiência de vitamina B12 ou de ácido fólico, pois ajuda à absorção destes nutrientes. A vitamina C e o ácido fólico devem tomar-se sempre um a seguir ao outro e sob supervisão médica, pois a ingestão elevada de um deles pode mascarar uma deficiência do outro. A sua acção conjunta reforça a produção dos glóbulos vermelhos. Corrigida a anemia e excluído como causa um problema de absorção, as doses de B12 e ácido fólico de um suplemento multivitamínico devem chegar para evitar recorrências.

Ferro

Dosagem: até 20 mg/dia às refeições. Atenção: o médico poderá receitar uma dose mais elevada.

Vitamina C

Dosagem: 500 mg duas vezes/dia. Atenção: tomar com alimentos.

Vitamina B12/ ácido fólico

Dosagem: 1000 mcg de Bí2 e 400 mcg de ácido fólico em forma sublingual duas vezes/dia durante um mês. Atenção: tome sempre vitamina B12 e ácido fólico juntos; se a anemia persistir após suplementos orais de B12 pode precisar de B12 injetável.

Equinácea

Dosagem: 200 mg de extracto duas vezes/dia. Atenção: normalizado para conter 3,5% de equinacósidos

Urtiga

Dosagem: 250 mg de extracto de folhas de urtiga duas vezes/dia. Atenção: não existem extractos normalizados de folhas de urtiga.

Conselhos

Coma alimentos ricos em ferro (feijão, carne vermelha, fruta seca, frutos secos e crustáceos); em ácido fólico (citrinos, espargos, espinafres, cogumelos, feijão de soja e germe de trigo), e em vitamina B12 (crustáceos, carnes de cordeiro e vaca, queijo, peixe e ovos).

Um estudo que envolveu 28 vegetarianos radicais concluiu que 500 mg de vitamina C, tomados depois do almoço e do jantar durante dois meses, elevou os níveis de hemoglobina em 8% e os níveis de ferro no sangue em 17%. A vitamina C aumenta a capacidade de o organismo absorver ferro.

As pessoas acima dos 50 anos têm menos capacidade que as mais novas para absorver a vitamina B12 sendo portanto mais susceptíveis à anemia. A Academia das Ciências dos EUA sugere que todas as pessoas idosas tomem suplementos de B12. As mulheres depois da menopausa e os homens em qualquer idade obtêm ferro suficiente da alimentação, não devendo tomar suplementos multivitamínicos e minerais com este mineral. O excesso de ferro actua como «oxidante», produzindo os radicais livres, que podem aumentar os níveis de colesterol no sangue e originar obstrução das artérias. A ingestão excessiva de ferro tem sido associada a doenças cardíacas.
Alguns médicos são de opinião que a vitamina B|2 é mais facilmente absorvida em injecções do que sob forma oral, mas estudos mostram que estas últimas são igualmente eficazes.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :