Nutrição para uma vida melhor, vamos tomar já uma atitude em relação ao stress e à alimentação

Há mais de trinta anos que empresas como a Herbalife e os seus Distribuidores Independentes se empenham em educar os consumidores acerca dos benefícios de uma nutrição equilibrada e de uma vida ativa, mas foi só na última década que a comunidade científica se começou a aperceber exatamente quão importante é o papel que a alimentação desempenha na nossa vida diária.

As más escolhas nutricionais e hábitos alimentares, nomeadamente comer alimentos com elevado teor de gordura, açúcar ou sal, podem conduzir a uma série de problemas relacionados com a alimentação, incluindo a diabetes, deficiência de ferro, baixos níveis de açúcar no sangue, obesidade, hipertensão, colesterol elevado e doenças cardiovasculares.

Mas quantos de nós pensaram seriamente em como os nossos hábitos alimentares afetam o nosso desempenho no trabalho, ou no que lhe diz respeito, como é que o nosso trabalho pode afetar os nossos hábitos alimentares?

Atualmente, a vida e o trabalho estão a provocar tensões e stress, anteriormente desconhecidos, em toda a gente. Sentamo-nos o dia inteiro em frente ao computador e a nossa abordagem da vida é cada vez mais sedentária. A hora de almoço está a diminuir e as noites são guardadas para descontrair em frente da televisão, frequentemente acompanhadas de refeições prontas ou ‘fast-food’.

Este é um desafio em que a Herbalife quer participar. Naturalmente, a gama de produtos Herbalife encaixa-se perfeitamente numa situação destas, mas com demasiada frequência, as pessoas ignoram facilmente o óbvio e continuam como se não houvesse nenhum problema. Para ajudar, a Herbalife terminou recentemente um estudo, em parceria com a Dra. Barbara Stewart-Know, da Faculdade de Biomedicina, da Universidade de Ulster, para examinar como o stress afeta a alimentação e as escolhas alimentares positivas.

O inquérito abrangeu cinco países, o Reino Unido, Espanha, Alemanha, Itália e França, e investigou os hábitos alimentares, tanto no trabalho como fora dele, bem como mediu o stress, reconhecido e não reconhecido. No total, quase 1.000 pessoas, em cada um dos países, respondeu ao inquérito.

ALGUMAS DAS PRINCIPAIS CONCLUSÕES DO INQUÉRITO

  • Existe uma clara “cultura de snacks” na Europa, com 44% das pessoas a fazer snacks fora da hora das refeições. O Reino Unido lidera, com 55% da população ativa a fazer snacks fora das refeições, seguido da Itália com 46% (Alemanha 45%, Espanha 39% e França 34%).
  • Os trabalhadores que evidenciam elevado nível de stress no trabalho têm maiores probabilidades de se alimentar de forma menos saudável do que aqueles, cujo nível de stress é baixo ou normal.
  • As mulheres revelam níveis mais elevados de stress no trabalho e consomem refeições menos saudáveis do que os homens.
  • As pessoas entre os 26 e os 35 anos de idade apresentam níveis mais elevados de stress e de consumo de snacks não equilibrados.
  • Os trabalhadores com elevado stress têm duas vezes mais probabilidades de beber refrigerantes para aumentar os níveis de energia.
  • Em média, o trabalhador europeu consome 7,5 snacks não equilibrados durante a semana de trabalho.
  • Os que têm muito stress no trabalho demoram mais tempo a adormecer. A má qualidade do sono pode levar a que os trabalhadores comam alimentos ricos em açúcar e energia para compensar.
  • Os trabalhadores jovens, entre os 18 e os 25 são mais vulneráveis, uma vez que consomem o número mais elevado de snacks não equilibrados, com uma pontuação médiade 1,62 e, a faixa etária entre os 56 e os 65 anos a menos elevada, com uma pontuação de 1,28. Os trabalhadores mais novos também dormem pior do que a geração mais velha.
  • Os trabalhadores que têm problemas em adormecer (mais de 20 minutos) consomem mais fritos, chocolate, batatas fritas de pacote e refrigerantes do que aqueles que adormecem mais facilmente.
  • Os trabalhadores de todos os países consomem mais chocolate e doces, fritos, refrigerantes, biscoitos e batatas fritas de pacote em casa do que no trabalho – exemplos de ‘snacks de recompensa’ à noite.

A Herbalife está presentemente a usar este estudo para encetar conversações com alguns dos médicos líderes e formadores de opinião no setor da dietética, como parte da sua campanha contínua para reafirmar a sua posição como uma das principais companhias nutricionais do mundo. Está disponível mais informação sobre o estudo e uma cópia do relatório completo para descarregar, em www.stress-snacking.eu.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :