Não-fumadores e o fumo do tabaco

Não-fumadores prejudicados pelo tabaco

Actualmente sabe-se que os não-fumadores podem ser prejudicados pela inalação do fumo do tabaco de outros fumadores.  Já existem estudos que demonstram que as pessoas que convivem em casa ou no local de trabalho com fumadores podem ser os primeiros a sofrer. Num recinto fechado, o fumo do tabaco tem tendência em se concentrar numa só zona em vez de dispersar. Esta nuvem de fumo condensa-se e fica ao nível do nosso sistema respiratórios, obrigando as pessoas que partilham esse espaço a inalar o ar contaminado.

O grau de exposição a que o fumador passivo está sujeito varia de acordo com certos factores:

– O tipo e o número de cigarros consumidos à sua volta

– Tamanho do espaço e do nível de ventilação do mesmo

Por exemplo nas áreas fechadas como cafés, bares, e restaurantes, os níveis de hidrocarbonetos aromáticos, monóxido de carbono, nicotina, óxidos de nitrogénio, nitrosaminas podem chegar a atingir um valor 25 vezes superior ao encontrado em áreas livres de fumo.

Efeitos nocivos do fumo do tabaco

– Irritação dos olhos, nariz e sistema respiratório

– Irritação ocular (comichão nos olhos; olhos vermelhos; lacrimejo)

– Dores de cabeça

– Tonturas

– Enjoo

– Irritação nasal (comichão no nariz; espirros)

– Rouquidão e tosse

A exposição passiva em sítios públicos

A exposição passiva ao tabaco no local de trabalho ou em sítios públicos aumenta em 50% a 60% o risco de doença cardíaca coronária. De igual modo, o tabagismo passivo reduz a quantidade de oxigénio que é transportada no sangue, exigindo assim um maior esforço cardiovascular durante o exercício físico.

A fragilidade das crianças

As crianças são mais sensíveis ao fumo do tabaco, pois o seu sistema respiratório ainda se encontra em desenvolvimento. Nas crianças, o tabagismo passivo pode provocar:

– Surgimento de infecções respiratórias,

– Síndrome de morte súbita e asma

–  Aumenta o risco de desenvolvimento de asma ou sintomas respiratórios,

– O consumo de tabaco pela mulher grávida aumenta,  o risco de asma na criança

– O consumo de tabaco por um ou ambos os pais aumenta a probabilidade de a criança desenvolver tosse e expectoração crónicas, otite, pieira persistente (“chiadeira no peito”) e infecções respiratórias

– Se ambos os pais forem fumadores, a criança exposta ao fumo do tabaco apresenta um risco aumentado em 70% de desenvolver doenças respiratórias (asma, bronquiolite, pneumonia)



1 Comentário to “Não-fumadores e o fumo do tabaco”
  1. Francisco Cunha Leão

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :