Medicinas alternativas ajudam doentes de Parkinson

As medicinas alternativas têm alguma influência no aumento da eficácia da medicação e no atrasar de sintomas mais incapacitantes.

Meditação

O stress exacerba a doença de Parkinson, pelo que a meditação e outras terapias de relaxamento podem ajudar. Combinar a meditação com ioga ou t’ai chi também pode melhorar o controle muscular.

Terapia pela música

Os investigadores revelaram que a terapia pela música pode ajudar alguns doentes a melhorarem a marcha. Não se sabe exactamente como funciona, mas há algumas provas de que a música pode afectar a função nervosa cerebral.

Terapia pela nutrição

As proteínas tornam mais lenta a absorção de levodopa, pelo que os doentes que tomam este medicamento devem limitar a sua ingestão de produtos de origem animal à refeição da noite. Uma dieta com elevado teor de fibra ajuda a evitar a obstipação, um efeito secundário frequente de alguns fármacos. Podem ser aconselhados alimentos moles ou reduzidos a puré se houver dificuldade de mastigação e deglutição.

Fisioterapia e terapia ocupacional

Terapeutas especializados podem ajudar os doentes a manterem alguma auto-suficiência no seu dia-a-dia. Os pacientes também devem aprender exercícios que aumentem a força (resistência) e os ajudem a manter a força e mobilidade musculares.

Tratamento em casa

Embora a doença de Parkinson seja uma doença progressiva, é importante perceber que a maioria dos doentes vive durante muitos anos com uma diminuição das suas capacidades pequena ou muito pequena. Uma atitude optimista parece ser importante, e aderir a um grupo de apoio pode ser benéfico.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :