Exercício físico: processo inflamatório e adaptação

A inflamação, ou o processo inflamatório caracteriza-se como uma resposta natural de defesa do nosso corpo, contra uma infeção ou lesão, com o objetivo de eliminar os agentes invasores.

As causas da inflamação podem ser bactérias, vírus ou parasitas, veneno, exposição prolongada ao sol, ou às radiações e ainda traumatismos, como a quebra de um osso. Este processo faz parte do nosso sistema imunológico.

As nossas células do sistema imunológico estão amplamente espalhadas por todo o corpo, no entanto, quando há um processo infeccioso, essas células e os seus produtos se concentram no local infectado para amenizar os danos causados pelo organismo invasor. Este processo se caracteriza pela inflamação, ou processo inflamatório, e é caracterizada por três principais etapas: a primeira é um aumento do suprimento sanguíneo no local afetado; a segunda é o aumento da permeabilidade das células capilares, que ocorre devido a retração das células endotelial, permitindo assim que os mediadores solúveis da imunidade consigam chegar a área atingida; e a terceira é a migração dos leucócitos e dos capilares para os tecidos circundantes da área, impedindo assim o alastramento da infecção.

A sobrecarga, proveniente dos exercícios físicos, provoca micro traumas de diferentes graus tanto no tecido muscular, como no tecido ósseo e no tecido conjuntivo. Esses pequenos traumas podem ser considerados apenas danos temporários e reparáveis, uma vez que são resultado de uma resposta inflamatória aguda, por agentes que têm como principal função a limpeza, o reparo e o desenvolvimento dos tecidos que foram danificados.

O processo inflamatório é considerado muito benéfico e necessário quando relacionado aos treinamentos de exercícios físicos de maneira regular. Isso porque, quando associado a ação de alguns hormônios e outras moléculas sinalizadoras, são responsáveis pela regeneração e pelo reparo das estruturas danificadas durante o treino.

No entanto, é importante salientar que as evidências claras e específicas de que o processo inflamatório quando associado aos exercícios físicos pode ajudar no controle da inflamação, ainda são incipientes. Ou seja, as evidências de que um aumento na condição orgânica pró-inflamatória pelo estímulo do exercício regular, balanceado pelo ambiente anti inflamatório, diminui a magnitude e a duração da inflamação, o que proporciona uma regeneração maior do tecido e uma adaptação mais rápida.

Outras evidencias ainda sugerem que os benefícios do treinamento físico sobre o processo inflamatório dependem, diretamente, da qualidade e da quantidade de estímulos que o seu corpo recebe através da atividade. Além disso, outro fator importante é o tempo de descanso, que deve ser respeitado a fim de evitar o surgimento do over training (quando o corpo é submetido a um processo contínuo de treinamento intenso, sem a recuperação adequada).

Por isso, a dica é sempre consultar o médico ou um especialista que possa certificar se você está ou não apto a prática de exercícios físicos. E, mediante a aprovação do seu médico, procure sempre a orientação de um profissional da área de exercícios físicos, para te ajudar na escolha das atividades e das cargas mais apropriadas, mediante a sua inflamação.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :