Edema dos gânglios linfáticos

 Quando existe edema, significa que exista um processo inflamatório ou infecção, sendo que por vezes pode ser derivado a reacções de vacinas ou picadas de insectos. O edema pode ocorrer a nível local da lesão ou então a nível dos gânglios linfáticos. Normalmente os edemas nos gânglios linfáticos são indolores, mas podem provocar uma indisposição ou falta de força.

O edema tende a diminuir quando a causa é tratada, no entanto se os gânglios linfáticos se mantiverem inchados durante alguns dias, ou se iniciar febre, deve recorrer ao um consultório médico.

Quando ocorre inchaço no pescoço, a nível dos gânglios linfático, pode ser sinal de uma inflamação ou infecção a nível do sistema respiratório superior, associado muitas vezes a um processo inflamatório da faringe, amigdalites, rinofaringites ou gripe. O inchaço no pescoço, nos gânglios linfáticos gânglios pode estar igualmente associados à parotidite ou à rubéola.

Se o inchaço no pescoço, dos gânglio linfáticos se estender aos gânglios linfáticos axilares e perineais, pode ser um sinal de mononucleose infecciosa, doença que necessita de análise sanguínea para ser confirmado o diagnóstico, sendo que deve recorrer a um consultório médico. Em situações mais complicadas o tratamento passa pela administração de corticoesteróides e analgésicos, e pelo descanso na cama no estádio mais agudo da doença, assim com reforço hídrico.



1 Comentário to “Edema dos gânglios linfáticos”
  1. Josy Rodrigues

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :