Doença de Paget do Osso

A doença de Paget do osso é um problema crónico em que se verifica uma alteração do metabolismo ósseo. Em vez de um processo normal e constante de produção e substituição de tecido ósseo, dá-se uma perda rápida, ou reabsorção, de cálcio e de outros minerais ósseos. A medula é então substituída por tecido fibroso e há uma proliferação de vasos sanguíneos, de crescimento muitas vezes rápido e caótico. O osso novo tem uma estrutura anormal, sendo menos compacto e contendo mais vasos sanguíneos do que o osso normal. Como resultado, os ossos afectados podem, com o tempo, engrossar e ficar tão fracos que fracturam espontaneamente.

 A doença pode existir durante anos sem produzir sintomas óbvios, pelo que a sua incidência é difícil de calcular. Contudo, os especialistas calculam que cerca de 3% das pessoas com mais de 40 anos sofrem, em alguma medida, da doença de Paget do osso. A incidência é proporcionalmente maior entre as pessoas mais idosas.

 A doença de Paget do osso, quando afecta as ancas, pode ser tratada cirurgicamente através da substituição das articulações lesadas por peças artificiais.

A causa da doença de Paget ainda é desconhecida, mas têm sido indicados uma predisposição genética e um factor viral. Entre possíveis factores virais, contam-se o vírus respiratório sincicial, um microrganismo que pode causar bronquite e pneumonia, e o vírus do sarampo. Além disso, uma associação entre o facto de se ter um cão em casa e a doença de Paget, numa determinada região de Inglaterra, levou alguns investigadores a especularem sobre o possível envolvimento de um vírus que se encontra nos cães.

Os sintomas variam consoante o local afectado, mas a dor nos ossos é um sintoma comum. Os ossos atingidos com maior frequência são a tíbia, o fémur, o ilíaco, as vértebras e o crânio. Em casos graves, os ossos da coxa ficam tão fracos que se dobram para fora, e as tíbias, para a frente. Noutros casos, a cabeça torna-se visivelmente maior. Se houver deformação dos ossos das pernas e ancas, a dor na região lombar pode irradiar para as nádegas e pernas e dificultar a marcha. As alterações ósseas que afectem o ouvido interno podem produzir surdez; as dores faciais e de cabeça também são vulgares.

A proliferação de vasos sanguíneos nos ossos afectados pela doença aumenta o fluxo de sangue para as extremidades, que podem apresentar-se invulgarmente quentes ao tacto. Se a doença afectar mais de um terço do esqueleto, o coração terá de bombear com mais força para satisfazer as necessidades dos vasos sanguíneos adicionais, o que pode vir a provocar insuficiência cardíaca. Em certos casos, verificam-se deformações graves da coluna vertebral, com compressão da medula espinal e sintomas neurológicos, como dormência ou paralisia de um membro.

 Diagnóstico e exames complementares

A doença de Paget do osso é detectada com frequência quando uma radiografia tirada com qualquer outro objectivo revela o característico padrão em mosaico do tecido ósseo. Noutros casos, a investigação sobre a perda de audição, dor no nervo facial ou outros sintomas aparentemente não relacionados com os ossos pode levar à descoberta da doença.

Análises de sangue e de urina também fornecem pistas sobre o metabolismo ósseo deficiente. O diagnóstico é confirmado por meio de tomografia dos ossos com injecção de uma substância radioactiva. Podem fazer-se exames adicionais para eliminar a hipótese de sarcoma, um tipo de cancro dos ossos que é uma complicação possível da doença de Paget do osso. Um electrocardiograma e outros exames ao coração podem revelar um esforço cardíaco superior ao normal.

Tratamentos médicos

Terapias medicamentosas

Quando a doença de Paget é assintomática, o tratamento é desnecessário. Se a dor for o principal problema, grandes doses de aspirina aliviam e parecem suprimir a doença. Obtêm-se resultados semelhantes com outros anti-inflamatórios não–steróides, sobretudo indometacina.

Os esteróides, como a prednisona, também eliminam a doença, mas como têm de ser dados em doses elevadas, podem ter efeitos secundários graves, incluindo enfraquecimento do sistema imunitário, não são recomendados, excepto como tratamento de curta duração. Receita-se por vezes uma substância específica para a doença de Paget do osso, o etidronato, para diminuir a velocidade de destruição e reconstrução do tecido ósseo. Injecções de calcitonina, uma hormona da tifóide, diminuem a reabsorção de osso decomposto pelo organismo. Uma terapia prolongada de calcitonina pode reduzir a dor óssea e estabilizar a função cardíaca.

Tratamento cirúrgico

Pode ser recomendada uma osteotomía para corrigir uma deformidade incapacitante dos ossos das pernas ou a substituição total das ancas, se a doença tiver provocado graves lesões a essas articulações.

Medicinas alternativas

Meditação e auto-hipnose

Estas e outras técnicas de relaxamento podem ser úteis no alívio da dor.

Fisioterapia

O doente deve ter um nível adequado de actividade física para promover o metabolismo ósseo correcto e manter a mobilidade. Os fisioterapeutas podem dar orientações sobre um programa de exercício e recomendar o uso de canadianas e outros dispositivos de protecção, de forma a evitar fracturas.

T’ai chi

Estes movimentos suaves são especialmente apropriados para doentes com ossos fragilizados. Alguns tipos de terapia pela dança podem ser benéficos.

Tratamento em casa

Evite repouso prolongado na cama, que acelera a perda e a reabsorção óssea. Se o seu médico receitar doses elevadas de aspirina ou de anti-inflamatórios não-esteróides, certifique-se de que toma os medicamentos com alimentos, a fim de minimizar os distúrbios de estômago.

Outras causas de sintomas ósseos

A osteoporose produz alterações e dores ósseas semelhantes a alguns aspectos da doença de Paget.



1 Comentário to “Doença de Paget do Osso”
  1. Ben-hur Mahomed

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :