Como tratar a infertilidade

Factores que contribuem para a infertilidade:

– Ausência de ovulação;

– Obstrução das trompas;

– Endometriose (focos de endométrio – epitélio que reveste a cavidade uterina presentes fora da sua localização normal, como os ovários, as trompas, a parede intestinal…);

– Alterações do número, da morfologia ou da motilidade dos espermatozóides;

– Patologia endócrina (aumento da prolactina ou de androgénios, doenças da tiróide…);

– Factores imunológicos; factores genéticoss; hábitos alcoólicos ou tabagismo;

– Estupefacientes;

– Radiações ionizantes;

– Doenças víricas e venéreas;

Acompanhamento psicológico

A infertilidade pode causar reacções emocionais e sintomas psicossomáticas variáveis como cefaleias, insónias, irritabilidade, dificuldades de concentração, problemas de sono, fadiga, sensação de tristeza e de vazio, perda ou excesso de apetite, perda de interesse ou de prazer relações sexuais. Estes sentimentos e sintomas devem ser acompanhadas por um psicólogo clínico.

Tratamento da infertilidade

Deixar de fumar

O fumo do tabaco possui centenas de substâncias, incluindo nicotina, monóxido de carbono e mutagéneos,  afectam negativamente todos os elementos da fertilidade, incluindo o desenvolvimento folicular e a ovulação, a produção e a qualidade estrutural dos ovócitos e dos espermatozóides, a fertilização e o desenvolvimento embrionário e fetal. Existem estudos que indicam, que a mulher grávida que fuma pode pôr em risco a futura fertilidade do seu feto, seja este masculino ou feminino.

Fazer análises e exames

Tanto o homem como a mulher devem fazer análises e os exames tais como:

– Avaliação da função ovárica através dos doseamentos hormonais

–  Cariótipo (estudo cromossómico) do casal

–  Marcadores víricos da hepatite B, C e VIH

– Serologia da toxoplasmose, rubéola e sífilis

– Avaliação dos órgãos pélvicos através da ecografia transvaginal,

–  Histerosalpingografia (introdução de um produto de contraste para observar a cavidade uterina e a permeabilidade das trompas) e/ou a histeroscopia (endoscopia da cavidade uterina)

– Espermograma (análise do número, da morfologia e da motilidade dos espermatozóides

– Pesquisa de leucócitos – para o despiste de uma eventual inflamação ou infecção)

Causas de origem genética e cromossómica

– Na mulher, a síndrome de Turner (constituição cromossómica 45,X), pelas suas implicações ováricas e consequente amenorreia primária (ausência de menstruação), é, claramente, um factor etiológico importante na infertilidade feminina.

– A insuficiência ovárica prematura vulgarmente designada de “menopausa precoce”.

– A endometriose e a síndrome dos ovários policísticos são outros factores de infertilidade de causa feminina.

– A insuficiência ovárica prematura, definida como o fim da função ovárica antes dos 40 anos,  que ocorre em cerca de 1% das mulheres.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :