Aborto Expontâneo

Algumas dicas para reduzir o risco de aborto:

COMA

  • • Hidratos de carbono complexos, conto pão integral e massa
  • • Fruta e legumes frescos, que fornecem fibras, vitamina C e ácido fálico
  • • Leite e lacticínios
  • • Carne, peixe, leguminosas, frutos secos e sementes
  • • Peixe gordo e óleos de sementes, que fornecem ácidos gordos e poliinsaturados

EVITE

  • • Queijos de casca mole e lacticínios não-pasteurizados
  • • Fígado e produtos à base de fígado
  • • Álcool e tabaco
  • • Quaisquer medicamentos, excepto sob vigilância médica

A definição médica de aborto é a expulsão do feto antes da 24ª semana de gravivez. Os abortos são muito mais frequentes do que se crê; de facto, pensa-se que cerca de três quartos das fecundações não resultam no nascimento de uma criança viva. Muitas vezes esses abortos são tão precoces que a mulher nem se apercebe de que está grávida, pensando que está a ter um período mais abundante ou mais tardio do que o normal.

ALIMENTAÇÃO ANTES DA CONCEPÇÃO

Os casais que querem ter um filho devem tentar estar em forma antes da concepção. Pais saudáveis, com um peso não significativamente inferior nem superior ao peso médio normal, têm maior probabilidade de ter bebés saudáveis.

Os futuros pais devem, ambos, seguir uma dieta nutritiva e equilibrada e fazer um esforço para eliminar ou reduzir o tabaco e o álcool. Também é importante praticar exercício regularmente. Pensa-se actualmente que estas alterações ao estilo de vida devem ser feitas pelo menos três meses — e de preferência seis — antes da concepção.

ÁLCOOL E TABACO

Para aumentar as probabilidades de ter um bebé saudável, é preferível evitar todas as substâncias tóxicas. Nas mulheres, o álcool é especialmente perigoso nas fases iniciais da gravidez, quando as células fetais se dividem muito rapidamente. Infelizmente, é nesta fase que a mulher tem menos hipóteses de se aperceber de que está grávida. Será por isso mais seguro que as mulheres evitem o álcool a partir do momento em que pensem engravidar.

As mulheres que fumam correm um risco mais elevado de abortar e de que o bebé nasça com peso reduzido ou mes-mo com um defeito congénito. No entanto, se a mulher for dependente da nicotina do tabaco, o médico pode ser de opinião que o stress provocado pela tentativa de deixar de fumar durante a gravidez pode ser mais prejudicial para a mãe e o filho do que continuar a fumar alguns cigarros por dia.

DIETA DURANTE A GRAVIDEZ

É geralmente aceite que uma dieta pobre em nutrientes durante a gravidez aumenta a probabilidade de aborto. Durante os primeiros três meses de gravidez, quando as células do feto começam a formar órgãos rudimentares, a qual idade, mais do que a quantidade, dos alimentos que a mãe consome é muito importante. Nesta fase, o feto em crescimento é de tal forma pequeno que não é necessária uma ingestão de calorias muito maior do que a habitual.

O que é necessário é uma alimentação adequada: a falta de nutrientes essenciais pode resultar em desenvolvimento deficiente e até num aborto espontâneo. Uma dieta equilibrada deve incluir muitos alimentos que contenham hidratos de carbono complexos, como pão integral, massa e legumes verdes; estes são fonte de energia, ferro e zinco. O leite fornece cálcio, vitaminas e proteínas; a carne magra, peixe, ovos, leguminosas, frutos secos e sementes contribuem com proteínas, ferro, vitaminas do complexo B e zinco. O peixe gordo e os óleos vegetais são boas fontes de ácidos gordos essenciais, e a fruta e legumes frescos fornecem libra, vitamina C e ácido fólico. Prefira alimentos frescos e naturais e tente reduzir os hidratos de carbono refinados, que podem conter grandes quantidades de açúcar e de gorduras saturadas.

ALIMENTOS A EVITAR

A listeiose, provocada por uma bactéria transportada pelos alimentos, a listeria monocytogeiies. é uma infecção rara mas grave que, contraída na gravidez, pode provocar aborto, nascimento de um nado-morto ou doença grave no recém-nascido. Os alimentos de alto risco incluem queijos de casca mole epatês, que devem ser evitados. Coma sempre a carne, as aves e os ovos muito bem passados para garantir a destruição das bactérias. As mulheres grávidas e as que tentam engravidar devem evitar o fígado, pois este tem um elevado teor de vitamina A, que, em excesso, pode provocar defeitos congénitos. Alguns estudos sugerem que o consumo de cafeína (presente no café, chá e chocolate) deveria ser proibido, mas muitos médicos afirmam que, em quantidades moderadas, a cafeína é inofensiva.

SUPLEMENTOS

As organizações de saúde aconselham um suplemento de ácido fólico pelo menos três meses antes da concepção e até à 12ª semana de gravidez, numa dosagem de 0,4 mg/dia. A associação entre a falta de ácido fólico e anomalias da medula espinal é hoje reconhecida, e a probabilidade de aborto de fetos com tais malformações é maior que o normal. Muitos médicos receitam suplementos de ferro e ácido fólico nos últimos meses da gravidez para evitar a anemia. Na sua maioria, os medicamentos à base de plantas medicinais devem ser evitados na gravidez.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :