A medicina Ayurvédica e o Ayurvedismo

Este sistema de tratamento indiano acentua a relação mente/corpo para a manutenção da saúde. Tal como em outras práticas médicas asiáticas, o essencial é o equilíbrio da energia vital, neste caso o prana. O sistema procura equilibrar as três forças básicas da vida, ou doshas

  • vata, responsável pelos movimentos do corpo;
  • pitla, que comanda a digestão e a produção de energia,
  • kapha, responsável pela estrutura e estabilidade do corpo. A doença ocorre quando uma das doshas está em desequilíbrio; cada pessoa deve conhecer a sua dosha dominante e tentar mantê-la em equilíbrio com as outras através da dieta e do estilo de vida.

Origens

Ayurveda significa, em sânscrito, «a ciência da vida e da longevidade». Pensa-se que este sistema tem cerca de 5000 anos, sendo assim o mais antigo de todos os sistemas médicos. Os dois manuais clássicos do ayurvedismo têm mais de 2000 anos. O Charaka Somhita, do nome da pessoa que foi a homóloga ayurvédica de Hipócrates, propõe os princípios da manutenção da saúde e do tratamento da doença; o Sushruta Samhita descreve complicados procedimentos cirúrgicos, incluindo cirurgia plástica reconstrutiva, remoção da vesícula biliar e outras operações que hoje se consideram modernas.

A medicina ayurvédica propagou-se com a cultura hindu à Indonésia, ao Tibete e depois ao Ocidente, onde alguns dos seus princípios foram utilizados pelos médicos gregos. Com a expansão do budismo, este sistema de tratamento chegou à China e a outros países asiáticos.

Durante o século XIX, os Ingleses proibiram as escolas de ayurvedismo na índia e substituíram-nas por escolas médicas ocidentais. Nos 100 anos que se seguiram, a medicina ayurvédica foi relegada para as áreas rurais como prática popular. Quando a índia readquiriu a independência, em 1947, as escolas ayurvédicas foram novamente legalizadas, e hoje existem neste país cerca de 100 dessas instituições, em número igual às de medicina ocidental, e muitos médicos indianos utilizam na sua prática clínica ambos os sistemas.

Os profissionais

Na índia, os profissionais de ayurvedismo têm de fazer um curso de cinco a seis anos numa escola ayurvédica tradicional antes de poderem tratar doentes. Nos EUA, esta aprendizagem foi restringida a um pequeno curso de alguns meses num instituto ayurvédico. Mas, seja qual for a formação recebida, os praticantes de ayurvedismo não podem exercer medicina como tal, a não ser que sejam formados também noutra área, como a medicina tradicional, a osteopatia ou a quiroprática.

PRECAUÇÕES

Embora muitos médicos aceitem que o ayurvedismo é talvez o mais completo sistema de saúde até hoje concebido, todos afirmam que qualquer doença grave e potencialmente ameaçadora de vida deve ser tratada pelos métodos da medicina convencional.

Quando se utiliza

Ao contrário da medicina ocidental, que só entra em acção quando surge a doença, o ayurvedismo é incorporado no estilo de vida da pessoa, orientando-a em todos os seus aspectos, como o tipo de alimentação, o exercício ou a actividade sexual. O médico ayurvédico é consultado apenas para identificar e corrigir qualquer desequilíbrio entre as três forças vitais. Nas clínicas ayurvédicas dos EUA, os doentes são em geral tratados por um médico convencional e um médico ayurvédico.

Como actua

A filosofia ayurvédica afirma que cada pessoa nasce com uma proporção particular de doshas, das quais uma é predominante. Esta dosha dominante determina o tipo de personalidade e influencia a susceptibilidade da pessoa a certas doenças. Uma personalidade pitta, por exemplo, tem tendência a possuir um temperamento fogoso e a sofrer de tensão arterial elevada e distúrbios digestivos, pelo que uma doença relacionada com a pitta pode ser tratada com uma dieta suave e vários remédios à base de plantas. Como a mente é considerada uma força essencial na conservação da saúde, poderá também recomendar-se a meditação ou o ioga.

O que esperar

O médico ayurvédico começará por apurar qual o padrão dosha do doente. Para isso, mede as pulsações, que desempenham um papel fundamental neste apuramento em todo o corpo, procurando desequilíbrios de doshas traduzidos por alterações da pulsação. São também examinados sete tipos de tecidos — plasma, glóbulos vermelhos, músculo, gordura, osso, nervo e tecido do aparelho reprodutor.
Os médicos ayurvédicos não se concentram numa doença específica, mas tratam a totalidade do corpo e da mente. A purificação para libertar o organismo de toxinas constitui parte importante do tratamento; entre os métodos possíveis, contam-se banhos turcos, clisteres, abluções nasais, sangrias e massagens com óleos essenciais. O médico recomendará ainda uma dieta específica, sessões de meditação ou ioga e remédios à base de plantas.

TERMAS

Desde há séculos, entusiastas da saúde deslocam-se a locais como a cidade belga de Spa para gozar do ar puro, das águas medicinais e de diversos tratamentos clínicos, tradicionais ou não. Hoje, as termas são parte integrante dos cuidados de saúde em vários países europeus, e muitos sistemas de segurança social subsidiam acções de prevenção ou tratamento nesses estabelecimentos.
Na verdade, as águas medicinais contam-se entre os mais antigos meios terapêuticos da Humanidade, e parece que já o homem da Idade da Pedra conhecia e apreciava os banhos de vapor.

Os antigos romanos foram grandes utilizadores dos banhos e construíram estabelecimentos-termas em muitas zonas do seu império, sobretudo em regiões de nascentes medicinais. Portugal foi uma dessas zonas, e no nosso país encontram-se algumas preciosidades arqueológicas que comprovam a exploração das nossas águas minerais pelos Romanos. Entre elas, as Termas Cassianas, edificadas em Lisboa 49 anos antes de Cristo.

Hoje, as estâncias termais não oferecem apenas águas medicinais para beber ou para banhos, antes proporcionam programas completos de cura que aliam os métodos da medicina convencional aos tratamentos baseados em terapias naturais.

Muitos destes estabelecimentos orientam-se para problemas específicos, como a hipertensão ou as doenças cardíacas, renais ou respiratórias. Outros oferecem, além de várias formas de hidroterapia, fisioterapia, electroterapia, massagens e outras terapias.



1 Comentário to “A medicina Ayurvédica e o Ayurvedismo”
  1. ines

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :