Use os musculos para queimar calorias

Os músculos, como toda a gente sabe, dão-nos força para pegar em caixotes e andar com os bebés ao colo. Dão-nos força para andarmos às voltas nos centros comerciais e para corrermos para apanhar o comboio das 5h30 da manhã. E além disso tudo (dependendo dos gostos de cada um em termos de estrelas de cinema musculadas), os músculos ainda conseguem pôr as nossas línguas a abanar mais depressa que a cauda de um golden retriever. Mas não é preciso ser-se um lançador de pesos olímpico, nem um homem das entregas de electrodomésticos, nem sequer um estudante bronzeado nas férias da Páscoa para tirar partido dos músculos. Em termos de gestão da cintura, o verdadeiro poder dos músculos está na sua capacidade de trabalharem como uma matilha de lobos. Se as hormonas são responsáveis por grande parte do nosso metabolismo, são os músculos que podem acelerar o processo de queimar as calorias extra.

Músculos para queimar calorias

Os músculos dão-nos a capacidade metabólica de queimar calorias sempre que nos mexemos – a fazer exercício, a cuidar do jardim, a fazer amor -, mas a grande vantagem é que se alimentam constantemente de calorias, mesmo quando nos mexemos à velocidade de um skate com as rodas estragadas. Cada meio quilo de músculo queima entre 40 a 120 calorias por dia só por existir, enquanto cada meio quilo de gordura consome apenas uma a três calorias. Dia após dia, tudo somado isso faz uma enorme diferença no ritmo metabólico e no dispêndio diário de calorias. Por exemplo, se adicionarmos uma garrafa de água cheia de músculo ao nosso corpo, poderemos queimar um frigorífico cheio de gordura.

Quando pensamos em músculos, vêm-nos logo à ideia imagens de músculos descomunais, ou de músculos bem bonitos.

Pense no exercício como um tratamento médico

Acha que é demasiado esforço? Bem, as pesquisas demonstram que o exercício diminui o risco de depressão tanto como um antidepressivo. Trinta minutos por dia a andar a pé diminui o risco de cancro da mama em 30 por cento e aumenta a respectiva taxa de sobrevivência em 70 por cento. Além disso, também melhora as taxas de sobrevivência das vítimas de ataque cardíaco em 80 por cento.

Trabalhar os músculos não implica torná-los grandes, nem implica que fiquemos todos musculados ou aptos para jogar na Liga Nacional de Futebol Americano.
Se nos concentrarmos nos músculos certos e seguirmos o plano certo, não criamos massa; apenas nos tornamos mais firmes e estimulamos o desenvolvimento muscular necessário para ajudar a queimar mais calorias. E o melhor de tudo sabem o que é? O melhor de tudo é que não é preciso nem equipamentos caros, nem inscrições em ginásios, para notarmos os benefícios de termos mais músculo. Só há um equipamento de que precisamos: o corpo. O nosso corpo é o nosso ginásio.

A começar nos anos 6o, o acréscimo de horas que os americanos passam em média a ver televisão tem acompanhado perfeitamente o respectivo alargamento da cintura. Para além de nos cabir de andar lá fora a cumprir tarefas, a televisão deixa-nos as mãos livres para podermos comer distraidamente e planear o nosso assalto ao frigorífico a cada intervalo. Trata-se de um problema sério para as crianças, que, em média, vêem 17 horas de televisão por semana.

Os músculos do esqueleto são aqueles que estão agarrados aos ossos através de tendões e ligamentos (muito diferentes dos músculos involuntários que estão relacionados com o trabalho dos órgãos, como o coração ou o esófago). Esses músculos do esqueleto andam sempre aos pares; isso permite que o músculo mova um osso numa direcção, enquanto o outro move o mesmo osso noutra direcção (quando dobramos o braço pelo cotovelo, os bíceps puxam o antebraço e braço ao mesmo tempo, enquanto os tríceps os empurram, afastando-os um do outro).

Podíamos ficar aqui o dia todo a explicar a biologia dos músculos e levar-vos ao desespero com isso, mas achamos melhor resumir aquilo que vos interessa saber: os músculos do esqueleto foram feitos para duas coisas – tornar-nos rápidos e fortes. São constituídos por feixes de fibras, e cada uma dessas fibras é como um fio de esparguete.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :