Propriedades terapêuticas da Berberis vulgaris

berberis

Berberis Vulgaris

(Berberís VulgClris L. Uva-espim. espinheiro-vinheto)
Berberidáceas


Este arbusto vivaz e ornamental era muito cultivado nos jardins até à descoberta do seu papel na transmissão de um fungo causador de uma grave doença dos cereais, a ferrugem negra, ou alforra negra. Os seus usos dietéticos são variadíssimos, pois os frutos verdes, conservados em vinagre, consomem-se como as alcaparras e quando maduros servem para o fabrico de doces, geleias, pastilhas, antiga especialidade da cidade francesa de Dijon, muito apreciada por Voltaire, e xaropes.

Propriedades medicinais: apetite, astenia, circulação, escorbuto, fígado, gota, gravidez, hipertensão, litíase, menopausa, menstruação, obstipação, rubéola, tratamento de varizes.

Partes utilizadas: fruto (Setembro), folhas aperitivo, colagogo, diurético, estomáquico, laxativo, tónico.

Habitat: Europa, solos calcários, bosques, sebes, silvados; Norte de Portugal; até 1900 m. Identificação: de 1 a 3 m de altura. Arbusto erecto, casca cinzenta; ramos canelados, lenho duro amarelo; (olhas verde-claras rígidas, desiguais, obovadas, marginadas de cílios espinhosos, venadas na página inferior, reunidas em ramos ao nível de um espinho tripartido; flores amarelo-vivo (Maio-Junho), cada uma delas constituída por 6 sépalas, 6 pétalas e 6 estames em volta de um carpelo encimado por um disco estigmatífero persistente, em cachos pendentes mais compridos que as folhas; baga cor de coral, ovóide (5 mm), com 2 ou 3 sementes. Inodora; sabor extremamente ácido (baga) e amargo (casca).

Formas de administração e posologia

Uso interno:

– Infusão ou cozimento dos frutos: 1 colher de café por xícara, 2 a 3 vezes por dia.
– Tintura (1:10) das cascas: 20 a 40 gotas por dia.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :