O Leite e a sua saúde

Quais as razões para consumir leite regularmente?

1. O leite fornece as proteínas de melhor qualidade ao preço mais barato

Como já vimos, as proteínas são combinações de ácidos aminados e estes são os tijolos com que o organismo se constrói durante as fases de crescimento e desenvolvimento, e com que refaz as estruturas que continuamente se gastam ou avariam durante todo o ciclo da vida.

Não somos capazes de fabricar todos os tipos de tijolos; alguns, os ácidos aminados essenciais, temos de os receber já prontos através da alimentação; mas somos capazes de fabricar outros, os não essenciais, desde que a alimentação nos forneça quantidades suficientes de proteínas a partir das quais os sintetizamos e hidratos de carbono em quantidades suficientes.

Ora o leite possui duas grandes vantagens: é muito rico de proteínas e fornece ácidos aminados essenciais em quantidades e em proporções muito favoráveis. Não é verdade que os bebés se desenvolvem espectacularmente só com leite?

Uma alimentação suficiente quanto a produtos lácteos torna-se automaticamente de muito melhor qualidade proteica, o que possibilita reduzir o consumo global de proteínas, com benefícios para o organismo. E com uma vantagem adicional: a de poupar dinheiro; basta fazer contas.
De facto, desde que a alimentação respeite as proporções de A Roda dos Alimentos, a ração de proteínas fica plenamente satisfeita, no caso de adultos, com meio litro de leite, um ovo e apenas 100 a 125 gramas limpos de carne ou peixe.

Sem leite, já é preciso um ovo e 220 a 330 g de carne ou pescado! Quanto custa a diferença? Mas além do custo, sabemos hoje que não é saudável uma alimentação com grandes quantidades de alimentos provenientes de mamíferos terrestres, mercê da qualidade e quantidade das gorduras que fornecem.

Os benefícios para a saúde e para a macroeconomia (qual é o custo ecológico e o directamente económico da produção de 1 kg de carne?), levaram alguns países, como a Noruega, por exemplo, a popularizarem o apreço pelo leite oferecendo-o durante anos e, depois, subsidiando-o durante mais de uma década. Assim, conquistaram para o consumo regular de lacticínios que não tinham tal hábito.

2. A segunda razão para consumir leite é a sua riqueza em cálcio

Este mineral também abunda em hortaliças, mas como o seu aproveitamento exige condições favorecedoras da absorção e do metabolismo e condições que contrabalancem efeitos antagónicos de outros nutrientes, podemos afirmar que sem leite (ou sem os seus derivados completos: iogurte, queijo e requeijão) não se estabelece facilmente um balanço positivo de cálcio no organismo.

Sem leite, nem ossos nem dentes saudáveis

O património ósseo de um adulto e de um idoso tem muito a ver com a quantidade de osso formada até cerca dos 25 anos de idade e com a densidade da sua mineralização; e estas, muito a ver com a ração de cálcio e de vitamina D (sol!) durante a infância e a adolescência. Baixas estaturas e osteoporose (essa doença de idosos que se constrói no princípio da vida quando os ossos não se formam plenamente) são muito mais comuns nas populações que não utilizam as quantidades necessárias de lacticínios.

3. A terceira razão para consumir leite é a sua riqueza em vitaminas B 2 e A, esta última só presente em leites derivados gordos ou meio gordos.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :