O colesterol

Substância branca, cerosa, semelhante a gordura, o colesterol é um componente que ocorre naturalmente nas membranas das células e nas bainhas dos nervos. Desempenha também um papel importante na produção dos ácidos biliares, das hormonas esteróldes e da vitamina D e ajuda a transportar as gorduras no sangue.

Na maior parte, o colesterol existente no sangue é produzido pelo fígado; algum é absorvido directamente do colesterol dos alimentos (os ovos, o camarão e as vísceras são fontes de colesterol especialmente ricas). O colesterol percorre a corrente sanguínea, fazendo parte de «pacotes» chamados lipoproteínas.

Os perigos do colesterol

Quando existe uma quantidade excessiva de colesterol no sangue, formam-se depósitos de gordura nas paredes das artérias, reduzindo o calibre dos vasos sanguíneos e dificultando o fluxo do sangue. Este processo, conhecido por arterioesclerose, pode provocar trombose, angina de peito ou enfarte do miocárdio.

Existem vários tipos de llpoproteínas. As llpoproteínas de baixa densidade (LDL) contêm grandes quantidades de colesterol. É o colesterol «mau» que contribui para a obstrução das artérias. As lipoproteínas de alta densidade (HDL), peio contrário, contêm quantidades relativamente pequenas de colesterol e têm a capacidade de remover o colesterol das células. Níveis elevados de HDL estão associados a taxas mais baixas de doenças cardíacas.

Como reduzir o colesterol

Tanto os genes como a dieta influenciam os níveis de colesterol. Não podemos alterar a nossa herança genética, mas, na maior parte dos casos, uma dieta com baixo teor de gordura saturada e de colesterol contribuirá para manter baixos os níveis de colesterol do sangue. De um modo geral, deve reduzir-se a Ingestão de gordura para menos de 30% do total de calorias diárias; a gordura pollinsaturada não deve exceder 10% das calorias totais, e o colesterol deve limitar-se a menos de 300 mg por dia. (Para calcular as suas doses diárias de gordura, v. «Como controlar a ingestão de gorduras»).

Se os seus níveis de colesterol no sangue forem muito elevados ou uma dieta adequada não conduzir a uma melhoria num prazo de três meses, o médico poderá sugerir-lhe uma redução ainda maior da ingestão de gorduras saturadas para menos de 7% das calorias totais e da ingestão de colesterol para menos de 200 mg por dia. Se esta dieta mais restrita hão conseguir baixar os seus níveis de colesterol num prazo de 3-6 meses, poderá ser-lhe também prescrito jm medicamento. Apesar de tais medicamentos serem habitualmente eficazes, as pessoas que os tomam devem continuar a seguir a dieta recomendada.

Por muito que custe, a redução dos níveis elevados de colesterol vale bem o esforço necessário. Cada redução em 1 % do colesterol do sangue resulta numa diminuição de 2% no risco de doença cardíaca. Mesmo que os seus níveis de colesterol não sejam’elevados, seguir uma dieta com baixo teor de gordura saturada e de colesterol continuará a ser da maior importância para o seu coração e a sua saúde geral.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :