Cuidados para Evitar Transmissão da Gripe A

Determinadas doenças do foro respiratório são confundidas pela população, pois tem muitos sintomas e características comuns entre elas. Por isso é importante elucidar as pessoas sobre determinadas doenças, as quais se podem tornar graves, que é o caso da gripe A.
A gripe A é uma doença respiratória aguda, que tem como agente responsável o vírus influenza, o qual é facilmente transmitido através das gotículas que são libertadas pelas vias aéreas, quando tosse ou espirra, através do contacto com as mãos em superfícies contaminadas com o vírus, o qual pode sobreviver alguns dias num objecto, e posteriormente é levado até ao nariz ou boca através da manipulação das mãos. O vírus não se transmite em substâncias líquidas, não havendo por isso perigo com a água, piscinas, assim como não há necessidade de se preocupar com a sua transmissão pelos alimentos, desde que estes sejam bem lavados.
Os sintomas da gripe A assemelham-se aos da constipação, contudo são mais graves. Eis aqui um quadro resumo:

Sintomas Gripe A Constipação
Febre Alta (entre 38 e 40 ºC) durante 3 a 4 dias Rara
Dor de cabeça Intensa Raro
Dores musculares Intensas Raro
Cansaço fácil Normal, 2 a 3 semanas após a doença aguda Moderada, verifica-se só em alguns casos
Fadiga  debilitadora Comum Raro
Náuseas, vómitos e diarreia Frequente em crianças com idade inferior a 5 anos Raro
Lacrimejo Raro Frequente
Nariz entupido Raro Frequente
Espirro Raro Frequente
Dor de garganta Habitual Habitual

As pessoas com doença respiratória prévia devem tomar cuidados redobrados, uma vez que o surgimento da gripe A pode desencadear uma doença respiratória crónica e/ou colocar a vida da pessoa em risco, ao contrário da constipação. Neste sentido é essencial a prevenção da gripe A através de algumas medidas de prevenção. As medidas já começaram a ser tomadas pelas autoridades no sentido de evitar uma pandemia, daí ser desaconselhado viajar, ou permanecer em locais sobrelotados. Durante uma possível pandemia é provável que as pessoas sejam aconselhadas a ficarem em casa durante um longo período de tempo, para não serem contagiadas ou para não contagiarem, e que as autoridades encerrem provisoriamente locais de trabalho, escolas, transporte públicos e todos os locais frequentados por massas populacionais. Isto significa que há um risco de absentismo ocupacional, sendo a única solução a entre ajuda entre cidadãos.
Para atenuar os riscos de propagação da gripe em caso de epidemia deverá respeitar as indicações dos técnicos de saúde e autoridades relativamente a limitações nas viagens, encerramento de locais públicos, entre outras; deverá evitar sempre que possível concentrações de pessoas, nomeadamente em transportes públicos, supermercados, bancos e outros espaços públicos; cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando tossir, e posteriormente lavar as mãos; não guardar os lenços de papel por muito tempo, colocando-os num saco fechado, no lixo; manter as mãos longe dos olhos e boca; limpar frequentemente o seu local de trabalho com produtos desinfectantes á base de álcool, principalmente as superfícies que estão mais em contacto com as mãos, como mesa, secretária, telefone, computador, puxadores, etc., uma vez que o vírus permanece vivo nas superfícies entre 2 a 8 horas; viajar apenas em caso de muita necessidade; é importante adoptar hábitos de higiene, nomeadamente a frequente lavagem das mãos, para assim diminuir o risco de transmissão para nós e para os outros. Se tiver crianças em casa, certifique-se de que estas estão a par das medidas de prevenção e tente ensiná-las nesse sentido.
A lavagem das mãos deve ser frequente, antes e depois de cozinhar, sempre que utilizar a casa de banho, depois de se assoar ou tossir, quando em contacto com alguém que esteja doente, o que deve ser evitado, e depois de utilizar objectos passíveis de estarem contaminados. A sua lavagem deve ser feita com água quente, utilizando um sabão de preferência anti-séptico: esfregue bem as mãos, nos espaços interdigitais, na palma da mão, nas costas da mão, no polegar, nas unhas, esfregando a cabeça dos dedos contra a palma da mão, e volte a enxaguar bem. No fim deve secar as mãos com um lenço de papel, o qual deve ser utilizado para fechar a torneira, para evitar que estas sejam novamente contaminadas. Este processo pode ser feito através de toalhetes à base de álcool.
Se estiver em contacto com alguém que tenha gripe deverá ficar em casa pelo menos durante 3 dias, mesmo que não tenha sintomatologia gripal, com vista a prevenir a transmissão e proteger a sua saúde, até que a suposta gripe seja ou não confirmada. No decorrer dos 3 dias evite contactos íntimos com os seus familiares e amigos (distancia mínima de 1 metro), reforce as medidas de higiene pessoal nos objectos que a rodeiam.
Se possuir sintomas preditivos de gripe, evite ir ao hospital e opte por contactar uma linha telefónica criada para o efeito, pois assim serão maiores os riscos de contágio para as outras pessoas, e pode piorar a sua situação quando em contacto com outros microrganismos. Siga então as recomendações que lhe serão dadas, nomeadamente o repouso, a ingestão de muitos líquidos, entre outras. O uso de máscaras na comunidade não é aconselhado pela OMS (Organização Mundial de Saúde). O doente oferece maior risco de transmissão da gripe nas 24 horas precedentes ao inicio dos sintomas e 5 dias após o desaparecimento destes, assim sendo o doente deve permanecer isolado num quarto durante pelo menos 7 dias ou até os sintomas desaparecerem, de preferência com a porta fechada, e de contacto restrito com os familiares e visitas. O quarto do doente deve ser frequentemente arejado e limpo, principalmente as superfícies que estão mais em contacto com o doente, as quais devem ser lavadas com água e sabão ou água e 10% de lixívia. Todos os objectos pessoais, com os quais o doente entra em contacto devem ser mantidos afastados dos restantes residentes, sendo que a roupa e a loiça devem ser lavadas com água quente e detergente. Os que moram com o doente devem permanecer em casa pelo menos 3 dias depois do desaparecimento dos sintomas. E quando o doente necessita de cuidados personalizados, o seu cuidador deve utilizar medidas extras, como o uso de luvas, máscara e vestuário apropriado.
Alguns cuidados extra devem ter sido em conta, nomeadamente guardar mantimentos em casa, para estar prevenido contra uma pandemia, ter cuidados especiais com os animais pois em algumas situações estes podem contrair influenza, ter num local acessível uma lista actualizada de números de emergência, procurar alguém ou condições necessárias para a guarda das crianças caso as escolas ou ATL’s sejam encerrados, proceder às suas compras fora da hora de ponta, ou optar pela entrega ao domicilio, informar-se sobre os supermercados mais perto de casa e o seu horário de funcionamento, assim como o das farmácias. Opte por realizar os seus pagamentos pela internet, por viajar ou sair de casa ou do trabalho fora das horas de ponta, preferir as escadas ao invés de elevadores, utilizando sempre um lenço de papel se precisar de se segurar no corrimão, manter a distancia de segurança entre as pessoas, se tiver a possibilidade prefira trabalhar em casa ou opte por ter horário flexíveis, evitar refeitórios nem que para isso tenha que levar o seu almoço de casa.
Lembre-se que se tiver estas medidas como padrão, estará protegendo a sua saúde, assim como a saúde dos outros.



Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :