Como proteger a sua pele do Sol

Hoje em dia, já sabemos o suficiente acerca das lesões na pele para recorrermos aos protectores solares ou para nos afastarmos do sol, mas, ao agir desta forma, muita gente abdica de um ingrediente fundamental para a longevidade: a vitamina D.

O corpo serve-se da luz solar para produzir vitamina D. Usa, mais especificamente, os raios ultravioletas B (RUB), o tipo de RU que provocam queimaduras e que são os maiores alvos dos protectores solares.
Ao mesmo tempo, a vitamina D protege-nos de uma série de situações que reduzem o tempo de vida, nomeadamente muitos cancros vulgares, esclerose múltipla, artrite reumatóide, hipertensão, doenças cardiovasculares e diabetes do Tipo 1. Sem a dose suficiente de vitamina D, os músculos enfraquecem e o risco de quedas e de fracturas dispara, sobretudo nos idosos.

Para algumas pessoas, a falta de sol, em especial no Inverno, pode provocar alterações de humor e depressão, o chamado Distúrbio Afectivo Sazonal (DAS)

O que é necessário é um equilíbrio: RUB suficientes para beneficiar das suas vantagens para a saúde, mas não em tal quantidade que provoquem lesões de pele. Também será necessário ter em conta a estação do ano, a latitude, a hora do dia e a pigmentação da sua pele para concluir o que é benéfico no seu caso. Mas, em geral, dita o bom senso que apanhe 10 a 15 minutos de sol nos braços e nas pernas, ou nas mãos, nos braços e na cara, duas vezes por semana. De preferência, evite o período de intensidade máxima do sol, ou seja, entre o meio-dia e as 14 horas.

Riscos dos banhos de sol

O principal risco dos banhos de sol advém do aumento dos cancros de pele quando as pessoas se expõem a raios ultravioletas intensos. Os cancros de pele pigmentada, chamados melanomas, são os mais sinistros: são agressivos, alastram facilmente e podem ser difíceis de tratar.

O efeito de envelhecimento dos raios UV – e dos UVA – é considerável se desejar manter um aspecto jovem. O tom bronzeado é na realidade um sinal da queimadura da epiderme (camada superior da pele). Com uma sistemática exposição ao sol, a pele torna-se mais fina e frágil e o seu tecido conjuntivo enfraquece, reduzindo a força e a elasticidade. As lesões na pele consistem em rugas vincadas, veias finas na face e no nariz e manchas de pigmentação como pequenas sardas e «manchas de fígado». É difícil evitá–las, mas pode reduzir ou retardar estes efeitos se proteger a pele de doses excessivas de UV.

Como proteger a sua pele do sol

  • Use roupas apropriadas.
  • Use um chapéu de aba larga ou mantenha–se à sombra.
  • Use protectores com um filtro solar elevado e faça aplicações frequentes.
  • Evite o sol mais intenso do meio do dia.
  • Evite raios UV que o bronzeiem, em especial na infância.
  • Evite bronzear-se por métodos artificiais.
  • Se lhe apareceram manchas ou sinais estranhos na pele, consulte imediatamente um médico.


Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nome : Email :